PRINCIPAIS RAÇAS

ASEEL- Originárias da Índia, suas linhagens mais conhecidas são: RAJA MURGH, KHAN, RAMPUR, CALCUTA e outras menos difundidas entre nós.De maneira geral, os Aseels têm em comum a extraordinária fibra e compleição muscular privilegiada, além de pulmões super eficientes. As linhagens puras originais são raridades mas graças ao empenho de criadores tem sido preservadas sendo requisitadas e valorizadas tanto para cruzamentos (crossbreeding) ou por criadores de raças puras.

SHAMOS - Por essa denominação geral, são conhecidos os galos japoneses, apesar de haver variedades (KO-SHAMO, SHU SHAMO E OUTRAS). Seu porte ereto e elegante além da agilidade e colocação quando em combate, fizeram do shamo o preferido na formação do plantel nacional. É raro um combatente nacional que não tenha em sua genética uma boa dose desse sangue.

TUSO - É comum se ouvir falar desta raça mas o difícil realmente é vê-la pois a raça original, no seu "standard", é muito rara e poucos criadores conseguem mantê-la pura, exatamente por sua raridade. Especula-se sobre a sua origem, uns dizendo que é originária do Japão, outros dizendo que o sangue aseel da variedade Kalkatya é a base da raça mas a verdade é que o Tuso é "sui generis" como raça: tem a velocidade de um bankiva, a força e raça de um aseel aliados à inteligência e tenacidade. Quando puros são bem proporcionados de corpo mas não ultrapassam 2.500 kgs. Geralmente são de cor preto sólida com reflexos esverdeados, sendo comum a cor preta nas canelas, esporas, bicos e até nos olhos.São muito valorizados para cruzamentos com raças bankivóides.

MALAIO - Sua principal característica, a crista de bola ou achatada, seu porte musculoso, empenação rala que deixa entrever a pele avermelhada e a altura. Dizem alguns pesquisadores ser o ramo malaio a origem das raças aseel, shamo e outras asiáticas que foram sendo cruzadas e acabaram fixando tipos e padrões que depois receberam nomes diferentes. Por serem aves pesadas eram lentas em combate mas suas pernas musculosas eram fortes o suficiente para destroncarem o pescoço dos adversários.

BANKIVÓIDES - São raças leves, revoadoras, de empenação farta e vistosa. Diferem das anteriores nos quesitos velocidade, métodos de combater e principalmente no porte. Enquanto é comum as raças anteriores chegarem até a 5 ou 6 kgs. os bankivóides raramente ultrapassam os 2 kgs. São igualmente corajosos e são a base dos cruzamentos em países hispânicos, norte-americanos e nas Filipinas. Dentre as variedades mais conhecidas temos o Old English Game, os Espanhóis e o Sumatra. Na América Central são inúmeras as variedades e linhagens desenvolvidas por seus criadores devido à não proibição ao esporte galístico, o que tem garantido não só a continuidade dessas espécies como também o seu aprimoramento.

NACIONAL (BRAZILIAN GAME) - Com o advento de importações e cruzamentos ao longo dos anos, o Brasil conseguiu desenvolver uma variedade reconhecida atualmente como uma das mais completas, tanto em porte, beleza, força e raça. Das primeiras raças asiáticas trazidas pelos portugueses até o moderno combatente nacional um longo caminho foi trilhado. O plantel nacional hoje é um dos maiores do mundo, só superado talvez pela Tailândia. O combatente nacional tem porte proporcional a seu peso e altura, reúne as qualidades dos vários sangues e aportes genéticos ocorridos nos últimos 40 anos, quando ocorreu uma "modernidade" patrocinada por importações de linhagens de alta performance feitas por criadores conceituados e preocupados com o aprimoramento genético e a preservação dessas espécies.

A exposição acima é simplesmente introdutória e superficial e, aos poucos estaremos recebendo colaborações e artigos de ilustres criadores que estarão escrevendo artigos sobre as raças de uma maneira mais completa. Portanto sugerimos que o interessado em se aprofundar mais no estudo das raças de aves combatentes consulte os livros ou os links abaixo: